quarta-feira, 12 de março de 2014

pra sempre lembrar....


Ontem a linda da Valeria Surreaux diz que me achou num caderno:

Tua boca combina
com a minha nuca
e meu olho
ri melhor
dentro do teu

Logo em seguida foi o Mario Pirata que me lembrou num poema antigo:
um amor qualquer que seja
distante, platônico, impossível
pouco importa sendo amor
sendo luz, sendo alegria
dá beleza, acende os olhos
dá força pro braço, pro abraço
dá ilusão, dá fantasia
dá vontade de crescer
dá suspiros, faz poesia
um amor aumenta o dia
faz a noite iluminar
o amor é sempre grande
sempre forte, o primeiro!
limpa o medo, lava a alma
e refaz a esperança
o amor nos faz criança
nos lambuza, nos adoça
nos faz correr e brincar
tropeçar e cair
e voltar a caminhar...
poucos respiram esses ares
de amor sem rima triste
mas eu que amo igual criança
sei que amor feliz existe!



Depois vi essa imagem de passarinhos em fios de luz, que me parecem partituras, tenho certeza se eu conhecesse musica saberia interpretar, isso me fez lembrar o Zewe e seu piano que em alguma conversa me fez pensar: "somos a soma de todos os agora" que nos marcaram e só por isso perpetuam em nós. nos tocando como uma sinfonia, nos acendendo a certeza de que sim, podemos sempre musicar.
Somos felizes quando conseguimos ter os sentidos abertos não só às músicas já feitas, quando desapegamos, abandonamos a expectativa de perpetuar o mesmo ritmo e esperar repetir "aquele" acorde. Somos felizes agora, quando cremos na nossa capacidade infinita de fazer melodias e nos deixar tocar.

 Amanheci iluminada-feliz, tocada e desperta com a poesia de Eduardo Ramos, enviada pela minha amiga Benette Bacellar


"...é impossível a um coração que nasceu para o amor
des-amar, isso simplesmente não é assim, veja, minha querida,
é como acreditar que a água perdeu seu poder de ser água
por causa da terra seca, devido a estiagem prolongada,
seria bobagem acreditar nisso, do mesmo modo, a terra seca
do coração tem em si todas as sementes guardadas, à espera
do tempo das águas, da chuva bendita do amor...
logo tudo voltará ao normal,
virá a chuva, e o coração receberá,
sedento e agradecido o sentimento que se renova
e virão de novo as flores, os frutos,
do sagrado
amor...
não desaprende o caminho,
o coração que um dia amou!"


Entendi que todas essas pessoas queridas, sincronicamente, vieram me lembrar: amar é uma capacidade infinita de se deixar tocar...

Amém, amem!

 

Nenhum comentário: