quarta-feira, 6 de junho de 2012

medo de quebrar?

.. os filmes, a vezes os mais obvios do tipo sessão da tarde tem algo pra nos ensinar ou relembrar...
 Uma vez eu vinha de Santa Maria, nesses ônibus que passam filme e entre um cochilo e outro vejo a cena, de um menino conversando com uma moradora de rua, ela dizia:
 “eu me desiludi com um grande amor, e agora vivo assim, não falo nem confio em mais em ninguém, com receio de quebrar meu coração”.

O menino lhe dá um conselho simples e direto:
“um coração que não vai ser usado, não importa se está quebrado ou não...”, e acrescentou ainda sua própria experiência:
“uma vez ganhei um patins de natal, e como não queria estragá-lo só usei dentro do quarto, duas vezes, quando resolvi que poderia usá-lo na rua, ele já não me servia mais, acho que pode acontecer o mesmo com teu coração...”

Uma mensagem perfeita no meio de um filme infantil: Perdido em Nova York 2, que já devo ter assistido 3 vezes e nunca registrei.É realmente muito bom, quando uma criança, um desconhecido, uma cena, uma poesia, uma música nos dizem o óbvio, e a verdade é sempre muito óbvia  depois que se vê, mas pode passear na nossa frente inúmeras vezes sem que tenhamos a capacidade de enxergá-la...

Nenhum comentário: