domingo, 26 de junho de 2011

Pátio

Hoje sei de onde vim e quanto fui moldada na minha primeira casa,nos detalhes, fui tramada junto aos crochês dos panos de prato,temperada com gostos e cheiros, sei o quanto me senti nutrida e tantas vezes não, calada e estimulada, amada e esquecida, o quanto subi nas árvores e em alguns muros, aprendendo o que posso, o que consigo ou não, testando minha capacidade de escalar perigos e obstáculos, fui esculpida nos barros que pisei com os pés descalços, minhas alegrias e tristezas partem dessa vertente...é de lá que brotou toda a água, se ela permanece limpa, se ela virou rio, se ela secou ou fez enchente...é minha parte da história, é o meu enredo, é a minha capacidade de sair de casa e ainda assim trazê-la dentro...
Algumas peças talvez nunca encaixem e posso ao reescrever ter o ímpeto de mudar o roteiro ou negar a origem da série...mas é lá!

Sonho que amar, seja voltar a brincar no pátio...com aquela leveza, que as tardes risonhas e curiosas seguidas de cafés com leite, me imprimiram como felicidade&paz, ideais que me acalentam desde sempre...desde daquele início onde aprendi a ser, a sentir, a olhar!

Nenhum comentário: