terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Papai Noel e outros anjos...

Em dias sombrios eu me sinto cansada de tentar, de esperar e de crer... mas esses dias duram pouco, por que felizmente, tenho anjos protetores fortíssimos, que diferentes de mim, nunca entregam os pontos, nunca desistem de me mostrar uma saída, nunca me deixam por muito tempo mergulhada nessa descrença, nem nessa apatia.

Meus anjos têm mil formas, desde amigos de longa data que desvendam minha dor mesmo sem nenhuma palavra, num olhar, até conhecidos recentes ou mesmo desconhecidos que Deus encarrega de fazer cruzar o meu caminho e de formas muitas vezes sutis, tratam de me acender a luz interna.

Eu andava assim há um tempo, quando minha amiga, me trouxe numa tarde, um bouquet/floral feito especialmente pra mim e minha outra super amiga, marcou um encontro lá no Ramiro D’àvila com uma mesa de pessoas especiais e que com olhares doces me confortaram e com mãos iluminadas me trataram, e assim devidamente cuidada e amada, fui melhorando e enxergando sem nuvens, fui permitindo que meus olhos voltassem a enxergar bonito.

Quando a gente volta a enxergar beleza, tudo cria mais sentido, tudo se encaixa e se ilumina. Tem sido assim, dia a dia sou presenteada com um toque e uma nova razão para crer:
No meio da semana reencontrei um amigo, que me convidou em tom de brincadeira, pra fazer uma foto de Natal, encontramos pessoalmente o bom velhinho, Papai Noel pegou minha mão e me contou a alegria que é, há mais de 20 anos, conviver com sonhos, me disse: “Este ano a mais novinha tinha 18 dias e a maiorzinha tinha 84, e sabe o que ela me pediu? Um companheiro, por que está cansada de ser sozinha... A esperança não deve morrer nunca, minha filha!”, me disse sorrindo. Depois me contou que dia desses, recebeu uma criança tão triste que parecia que nada do que ele falasse ou fizesse pudesse alegrá-la, mas tentou e fez a pergunta clássica: “O que o Papai Noel aqui pode te dar?”Ao que ela com olhos profundos pediu: “Traz minha mãe de volta...” Ele me contou que a resposta veio rápida, como se ditada: “Esse assunto é com o outro Papai, o do céu, e ele não traz ninguém de volta, mas sempre, sempre mesmo, quando leva alguém, encarrega que uma pessoa bem legal daqui venha pra cuidar de quem ficou, tu vai ver logo, logo vai aparecer alguém muito especial na vida tua e do papai”... A criança abraçou-o forte, e acesa a esperança seguiu.

Depois o Orkut me mandou como sorte do dia, a sábia frase do Chico Xavier: “embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, qualquer um pode começar agora e fazer um novo fim"...

No domingo cinza recebi e compartilhei um clipe bonito do Seu Jorge, me lembrando que não podemos viver em vão, e mostrando cenas suaves de lágrimas que se convertem em um encontro/abraço com direito a brilho nos olhos e sorriso de plenitude que me reforçaram que tudo é possível.

Mais tarde uma amiga postou no facebook um selo que dizia: SOU DO BEM, SEJA TAMBÉM! Uma espécie de campanha que estimulava tratar os outros como gostariamos de ser tratados, lembrando como é simples viver direito e ser melhor, e o quanto somos responsáveis: “A pedra que atiramos ou a palavra que proferimos nos volta, hora ou outra, com igual intensidade.("É Bom ser do Bem").

No fim do dia um casal que andava na minha frente, empurrando um carrinho de bebê, subiamente param e se dão um lindo e caloroso beijo na boca, um gesto gratuito e doce, que me garantiu a certeza de que é assim que deve ser.

Na segunda de manhã um conhecido me contou que faz um trabalho com grupos de pré-adolescentes: “Aprendem muito, mas principalmente aprendem a se relacionar com os colegas, se socializarem e virarem gente do bem.” E me pareceu tão satisfeito nessa tarefa, que me emocionou.

Em épocas como essa, os anjos tem trabalho intensificado, os finais de ciclo, podem e sempre tem muita carga: expectativas não cumpridas, palavras não ditas, desencontros, mágoas, perdas, tudo se intensifica, as saudades dos que foram antes aperta mais fundo, as solidões parecem mais pesadas de carregar, mas os anjos em suas diversas formas estão por aí, basta um olhar generoso e atento para percebermos, com o devido cuidado e usando todos os meios: mandam e-mails, tem facebook, Orkut, twitter, andam de ônibus, lotação, passeiam nas ruas, sorriem de graça, trocam gentilezas, se vestem de Papai Noel, fazem mutirões, doam, compartilham, se sensibilizam, abraçam, olham nos olhos, dão as mãos, e assim fazem o necessário para renovar o estoque de força e luz.

Eu volto a lembrar Manoel do Barros: "A importância de uma coisa há que ser medida pelo encantamento que a coisa produza em nós" e me sinto encantada, com tantos movimentos pro bem, com tantas luzes acesas, com tanta possibilidade de entendimento e melhoria.

Tenho certeza que é assim, repleto de encantamento, sentido e esperança que o Natal e todos os dias 2011 devem ser... Acreditem e aproveitem a grande oportunidade que é estar aqui! Comecem de novo logo adiante, mas nunca desistam de tentar.

Não podemos viver em vão e não estamos sós...