terça-feira, 27 de julho de 2010

Para ela que eu invento escrevendo...

Uma senhora
Desligou ansiosa

O programa de variedades
Da tarde

E procurou um disco
Antigo

Para ouvir
De olhos fechados

Um carregador de móveis
Largou um sofá
E sentou-se

Leve

E o senhor
Com a vassoura

Varreu folhas
Como se fossem flores

E inventou seu perfume

E uma quadra inteira
De prédios

Amenizaram seu concreto
E os passos alargaram
O sentido

Da calçada

Porque falávamos
De mãos dadas

Everton Behenck



Ps-Em plena lua cheia, a poesia do Everton me acendendo o desejo de andar de mãos dadas e contagiar o mundo com alegria, cor e leveza.

Nenhum comentário: