terça-feira, 27 de julho de 2010

Para ela que eu invento escrevendo...

Uma senhora
Desligou ansiosa

O programa de variedades
Da tarde

E procurou um disco
Antigo

Para ouvir
De olhos fechados

Um carregador de móveis
Largou um sofá
E sentou-se

Leve

E o senhor
Com a vassoura

Varreu folhas
Como se fossem flores

E inventou seu perfume

E uma quadra inteira
De prédios

Amenizaram seu concreto
E os passos alargaram
O sentido

Da calçada

Porque falávamos
De mãos dadas

Everton Behenck



Ps-Em plena lua cheia, a poesia do Everton me acendendo o desejo de andar de mãos dadas e contagiar o mundo com alegria, cor e leveza.

domingo, 25 de julho de 2010

mulher de lata?

Minha linda amiga, voltou a escrever...voltou...e eu como me reconheço nessas palavras...posto aqui...também ando um pouco mulher de lata...
..."Depois de muito tempo eu volto a escrever. Volto a escrever porque estou precisando sensibilizar-me com algo. Confesso que passei algum tempo da minha vida à parte de mim mesma. Tempo em que eu não me deixei "tocar" por quase nada...

...Eu perdi a razão juntamente com a emoção e passei a chorar menos, a calar mais e a me entregar quase nada. Para dentro da minha concha carreguei comigo lembranças que não compartilho, atitudes que questiono, sentimentos que teriam durado uma vida se não fosse a própria vida.

...Assim, construí minha armadura - a mulher de lata. Ah, e careço de mais silêncio, porque o ruído me incomoda, porque as palavras já não fazem tanto sentido e as pessoas estão desaprendendo a usá-las. Hoje me vejo e sinto desprovida de ilusões - e não, não é um estado depressivo - é presenciar o mecanismo de desastres em que encontra-se toda a humanidade. Não tenho vícios, nem um vizinho sociopata, trabalho para pagar as contas, gosto de dinheiro, do Pequeno Príncipe e das sensações confusas que a vida proporciona. Não gosto é de museus, da delinquencia humana, da sobra de assunto que há no mundo. Passei a gostar cada vez mais de gatos e muitas vezes questiono se um dia tudo isso vai mudar, se eu vou voltar a sentir como antes, se vou ouvir uma música e chorar, se passarei a entender o dia dos namorados, o Natal, as bodas de todos os materiais, o dia depois de amanhã. Não sei."

...
Conheçam Muito além do ponto, leiam esse texto por inteiro, tenho certeza que vocês vão gostar e enxergar toda a beleza da alma minha amiga!

terça-feira, 20 de julho de 2010

Ter um amigo....

Ter um amigo é como voltar ao pátio, descansar na rede, numa tarde de antes, é ter na alma um sorriso e uma alegria genuínas! Ser e ter um amigo é uma delícia, agradeço á todos os meus amigos ontem,hoje e sempre!

foto Tejard - acervo

“Escolho meus amigos não pela pele ou outro arquétipo qualquer, mas pela pupila.
Tem que ter brilho questionador e tonalidade inquietante.
(...) Fico com aqueles que fazem de mim louco e santo.
Deles não quero resposta, quero o meu avesso.(...) Escolho meus amigos pela alma lavada e pela cara exposta.(...) Quero amigos sérios, daqueles que fazem da realidade sua fonte de aprendizagem,mas lutam para que a fantasia não desapareça.
Não quero amigos adultos nem chatos
Quero-os metade infância e outra metade velhice.
Crianças, para que não esqueçam o valor do vento no rosto: e velhos, para que nunca tenham pressa.
Tenho amigos para saber quem eu sou.
Pois os vendo, loucos e santos, bobos e sérios, crianças e velhos, nunca me esquecerei de que “normalidade" é uma ilusão imbecil e estéril."


Um brinde aos amigos!

segunda-feira, 19 de julho de 2010

o tempo...



hoje soube com clareza
o tempo de cada vida
o tempo de adoecer, inclusive
para permanecer atento
o slow de uma onda
que se quebra devagar
de um pôr-do-sol
inundando cor lentamente
a necessidade
de ser permitir parar
a poesia de vivermos
e sermos
no tempo
necessário e preciso

segunda-feira, 12 de julho de 2010

O lado oculto do girassol by Vicente Sampaio


Caio Fernando Abreu dizia que: "a margarida é o desespero cercado de paz por todos os lados"... Vendo essa foto linda do Vicente eu saquei: o girassol é o desespero que oculta e é sustentado por verde esperança...

sexta-feira, 9 de julho de 2010

o amor...

a felicidade por Hermann Hesse...
"Quanto mais envelhecia, quanto mais insípidas me pareciam as pequenas satisfações que a vida me dava, tanto mais claramente compreendia onde eu deveria procurar a fonte das alegrias da vida. Aprendi que ser amado não é nada, enquanto amar é tudo.
O dinheiro não era nada, o poder não era nada. Vi tanta gente que tinha dinheiro e poder, e mesmo assim era infeliz.A beleza não era nada. Vi homens e mulheres belos, infelizes, apesar de sua beleza.
Também a saúde não contava tanto assim. Cada um tem a saúde que sente.
Havia doentes cheios de vontade de viver e havia sadios que definhavam angustiados pelo medo de sofrer.

A felicidade é amor, só isto.
Feliz é quem sabe amar. Feliz é quem pode amar muito.
Mas amar e desejar não é a mesma coisa.
...O amor é o desejo que atingiu a sabedoria.
O amor não quer possuir.
O amor quer somente amar."

Hermann Hesse

Como o mundo é sincrônico e o amor está no ar, abro a Elle e leio um comentário da Demi Moore falando seu casamento:
"Ele ama o meu lado mais vulnerável e não atraente, eu me sinto desejada"

olhar fresco

Ana Jácomo: "A gente não precisa de certezas estáticas. A gente precisa é aprender a manha de saber se reinventar.A gente precisa é de um olhar fresco, que não envelhece, apesar de tudo o que já viu".

quinta-feira, 8 de julho de 2010

da importância...

Hoje na primeira hora da manhã um amigo querido que não vejo há um tempão entrou no MSN e me disse: “Acordei lembrando a tua importância na minha vida, e aí vim aqui te dizer que não me importo de não te ver nunca, basta saber que tu existe, te adoro!”
Pra carimbar tudo isso, me mandou a musica Dez mil dias da Amelinha e que diz:

Vou me lembrando agora
Dos dias que eu já vivi
Mais de dez mil dias vão indo embora
Ai, é natural eu estar assim
Sonhei de mais, nem percebi
Que esse tempo passa
E a gente nem nota
Mas não, eu não quero
Viver me iludindo
Enfrento meu medo
Pra vida ir seguindo
E tudo que tenho a fazer
É não deixar de viver
Quando o caminho se abrir eu vou


Estou compartilhando isso com vocês, por que fiquei extremamente sensibilizada com o carinho dele e por perceber que a nossa amizade sobrevive mesmo sem o tanto de cuidado que deveria: há muito tempo não visito meu amigo, nunca mais sentamos horas a fio pra falar da vida, não sei o que ele anda sonhando e aprontando, ele também não sabe muito de mim agora, nos gostamos e vibramos com as nossas novidades á distância, torcemos um pelo outro, mas sabemos que “o tempo passa e a gente nem nota” e ás vezes não percebe ou não chega a dizer a importância das pessoas para continuarmos sendo... Ele ao me dizer me acordou pra isso...

Assim escrevo eu homenagem ao meu amigo Padaria, apelidei ele assim, por que sempre tinha um sonho novinho pra compartilhar comigo, pra dizer que ando com saudade de ter tempo pra nós, pra ouvir as musicas que ele baixou na internet, pra falarmos de filmes, pra rirmos e nos emocionarmos falando das trapalhadas e do passado, pra contar das viagens, pra planejar algum coisa lá adiante, pra ver enfim o que a vida tem nos feito e dos medos e dos caminhos que estamos seguindo.
Meu amigo me conhece frágil e forte, já me viu chorar de boca aberta, já me levou pra gritar quando a dor não cabia em mim, me levou no aeroporto numa viagem que era definitiva e como bom amigo que era, só me abraçou e disse: sei da importância dessa viagem pra ti. Não encana e aproveita tudo! Eu me senti cuidada e entendida, e aproveitei...
Acho que ele está certo, tem gente que ocupa outro patamar de importância e de intimidade, independente de mantermos contato, nos sabemos possíveis, nos sabemos disponíveis se o outro precisar, sabemos que ali tem alguém pra contar, alguém que É. Saber que existimos e nos entendemos até em silêncio, nos garante a permanência.
É imprescindível ter alguém assim na vida, tenham e não se esqueçam de dizer essa importância.

Valeu amigão pelo toque e por me deixar emocionada o dia inteiro, também te adoro e agradeço a benção de termos nos encontrado nessa vida e de sermos amigos!