segunda-feira, 28 de junho de 2010

Lições para viver melhor!

Meu amigo Tejard me apresenta esse texto lindo, que registro aqui:
Escrito por Regina Brett, 90 anos de idade, em The Plain Dealer, Cleveland, Ohio

"Para celebrar o meu envelhecimento, certo dia eu escrevi as 45 lições que a vida me ensinou. É a coluna mais solicitada que eu já escrevi."

1. A vida não é justa, mas ainda é boa.

2. Quando estiver em dúvida, dê somente o próximo passo, pequeno...

3. A vida é muito curta para desperdiçá-la odiando alguém.

4. Seu trabalho não cuidará de você quando você ficar doente. Seus amigos e familiares cuidarão. Permaneça em contato.

5. Pague mensalmente seus cartões de crédito.

6. Você não tem que ganhar todas as vezes. Concorde em discordar.

7. Chore com alguém. Cura melhor do que chorar sozinho.

8. É bom ficar bravo com Deus. Ele pode suportar isso.

9. Economize para a aposentadoria começando com seu primeiro salário.

10. Quanto a chocolate, é inútil resistir.

11. Faça as pazes com seu passado, assim ele não atrapalha o presente.

12. É bom deixar suas crianças verem que você chora.

13. Não compare sua vida com a dos outros. Você não tem idéia do que é a jornada deles.

14. Se um relacionamento tiver que ser um segredo, você não deveria entrar nele.

15. Tudo pode mudar num piscar de olhos. Mas não se preocupe; Deus nunca pisca.

16. Respire fundo. Isso acalma a mente.

17. Livre-se de qualquer coisa que não seja útil, bonito ou alegre.

18. Qualquer coisa que não o matar o tornará realmente mais forte.

19. Nunca é muito tarde para ter uma infância feliz. Mas a segunda vez é por sua conta e ninguém mais.

20. Quando se trata do que você ama na vida, não aceite um não como resposta.

21. Acenda as velas, use os lençóis bonitos, use lingerie chic. Não guarde isto para uma ocasião especial. Hoje é especial.

22. Prepare-se mais do que o necessário, depois siga com o fluxo.

23. Seja excêntrico agora. Não espere pela velhice para vestir roxo.

24. O órgão sexual mais importante é o cérebro.

25. Ninguém mais é responsável pela sua felicidade, somente você...

26. Enquadre todos os assim chamados "desastres" com estas palavras: Em cinco anos, isto importará?'

27. Sempre escolha a vida.

28. Perdoe tudo de todo mundo.

29. O que outras pessoas pensam de você não é da sua conta.

30. O tempo cura quase tudo. Dê tempo ao tempo...

31. Não importa quão boa ou ruim é uma situação, ela mudará.

32. Não se leve muito a sério. Ninguém faz isso.

33. Acredite em milagres.

34. Deus ama você porque ele é Deus, não por causa de qualquer coisa que você fez ou não fez.

35. Não faça auditoria na vida. Destaque-se e aproveite-a ao máximo agora.

36. Envelhecer ganha da alternativa -- morrer jovem.

37. Suas crianças têm apenas uma infância.

38. Tudo que verdadeiramente importa no final é que você amou.

39. Saia de casa todos os dias. Os milagres estão esperando em todos os lugares.

40. Se todos nós colocássemos nossos problemas em uma pilha e víssemos todos os outros como eles são, nós pegaríamos nossos mesmos problemas de volta.

41. A inveja é uma perda de tempo. Você já tem tudo o que precisa.

42. O melhor ainda está por vir.

43. Não importa como você se sente, levante-se, vista-se bem e apareça.

44. Produza!

45. A vida não está amarrada com um laço, mas ainda é um presente.

Em homenagem aos meus 46, segue o meu conselho:

46. Trate todos os demais como deseja ser tratado...

sábado, 26 de junho de 2010

Sempre achei Oswaldo Montenegro...um grande poeta...



Que a força do medo que tenho
não me impeça de ver o que anseio
que a morte de tudo em que acredito
não me tape os ouvidos e a boca
porque metade de mim é o que eu grito
mas a outra metade é silêncio.
Que a música que ouço ao longe
seja linda ainda que tristeza
que a mulher que amo seja pra sempre amada
mesmo que distante
porque metade de mim é partida
mas a outra metade é saudade.
Que as palavras que eu falo
não sejam ouvidas como prece e nem repetidas com fervor
apenas respeitadas como a única coisa
que resta a um homem inundado de sentimentos
porque metade de mim é o que ouço
mas a outra metade é o que calo.
Que essa minha vontade de ir embora
se transforme na calma e na paz que eu mereço
e que essa tensão que me corrói por dentro
seja um dia recompensada
porque metade de mim é o que penso
mas a outra metade é um vulcão.
Que o medo da solidão se afaste
e que o convívio comigo mesmo se torne ao menos suportável
que o espelho reflita em meu rosto num doce sorriso
que eu me lembro ter dado na infância
porque metade de mim é a lembrança do que fui
a outra metade não sei.
Que não seja preciso mais do que uma simples alegria
pra me fazer aquietar o espírito
e que o teu silêncio me fale cada vez mais
porque metade de mim é abrigo
mas a outra metade é cansaço.
Que a arte nos aponte uma resposta
mesmo que ela não saiba
e que ninguém a tente complicar
porque é preciso simplicidade pra fazê-la florescer
porque metade de mim é platéia
e a outra metade é canção.
E que a minha loucura seja perdoada
porque metade de mim é amor
e a outra metade também.



Deixa em cima desta mesa a foto que eu gostava
Pr'eu pensar que o teu sorriso envelheceu comigo
Deixa eu ter a tua mão mais uma vez na minha
Pra que eu fotografe assim o meu verdadeiro abrigo
Deixa a luz do quarto acesa a porta entreaberta
O lençol amarrotado mesmo que vazio
Deixa a toalha na mesa e a comida pronta
Só na minha voz não mexa eu mesmo silencio
Deixa o coração falar o que eu calei um dia
Deixa a casa sem barulho achando que ainda é cedo
Deixa o nosso amor morrer sem graça e sem poesia
Deixa tudo como está e se puder, sem medo
Deixa tudo que lembrar eu finjo que esqueço
Deixa e quando não voltar eu finjo que não importa
Deixa eu ver se me recordo uma frase de efeito
Pra dizer te vendo ir fechando atrás a porta
Deixa o que não for urgente que eu ainda preciso
Deixa o meu olhar doente pousado na mesa
Deixa ali teu endereço qualquer coisa aviso
Deixa o que fingiu levar mas deixou de surpresa
Deixa eu chorar como nunca fui capaz contigo
Deixa eu enfrentar a insônia como gente grande
Deixa ao menos uma vez eu fingir que consigo
Se o adeus demora a dor no coração se expande
Deixa o disco na vitrola pr'eu pensar que é festa
Deixa a gaveta trancada pr'eu não ver tua ausência
Deixa a minha insanidade é tudo que me resta
Deixa eu por à prova toda minha resistência
Deixa eu confessar meu medo do claro e do escuro
Deixa eu contar que era farsa minha voz tranqüila
Deixa pendurada a calça de brim desbotado
Que como esse nosso amor ao menor vento oscila
Deixa eu sonhar que você não tem nenhuma pressa
Deixa um último recado na casa vizinha
Deixa de sofisma e vamos ao que interessa
Deixa a dor que eu lhe causei agora é toda minha
Deixa tudo que eu não disse mas você sabia
Deixa o que você calou e eu tanto precisava
Deixa o que era inexistente mas eu pensei que havia
Deixa tudo o que eu pedia mas pensei que dava...

terça-feira, 22 de junho de 2010

O P se foi...

Já perdi muita gente, ou melhor seria dizer, já convivi com muita gente,já amei muita gente que não está mais perto,não está mais aqui... já senti diversas vezes essa dor de nunca mais...Nunca mais aquele abraço, nunca mais olho no olho, nunca mais a voz, o conselho, nunca mais a presença física...
Hoje foi o P, em outubro foi meu pai, ontem o Saramago, é natural as pessoas passarem e marcarem a nossa vida, como é natural que sigam...
Mas hoje, assim como todas as vezes que a morte me chega perto, voltei a perceber e espero não esquecer, que é realmente preciso viver no agora!
Abandonar os planos pra 2012, a viagem pro final do ano, NY com neve, Paris daqui há dois anos, o pedido de desculpa e tudo isso que a gente bestamente coloca lá adiante sem nenhuma garantia de concretizar...Por que DECIDIDAMENTE O FUTURO NÃO EXISTE!
Não preciso perder mais alguém para enfim me focar no hoje, na desculpa do momento, na palavra e no abraço enquanto as pessoas importantes estão perto de nós, ao alcance! Enquanto a vida acontece...
Que o P esteja na luz e que a gente saiba aproveitar a vida, vivendo-a plenamente, sem projeções e desculpas...

domingo, 13 de junho de 2010

pra lembrar de um amor bom...


Em tempos de amor, relembro uma história antiga e todos os seus significados, amor bom tem que ser acolhedor, tem que ser lotado de admiração e cuidado, um amor bom deve nos fazer melhores...um viva aos amores assim!

Tive um amor especial, com quem compartilhei momentos únicos, com quem não temi a tal intimidade, quis com ele fazer horta, dividir casa, cozinhávamos juntos, fazíamos pão (foi ele quem me ensinou), colocávamos a mesa na rua e comíamos embaixo da lua, com luz de velas, ás vezes fazíamos baile e dançávamos na sala, desde imitações cômicas de John Travolta nos embalos de sábado à noite até musicas muito lentas e perfeitas pra namorar, conversávamos muito até quase amanhecer ás vezes, e compartilhávamos emoção e lágrima quando elas vinham, ríamos juntos, admirávamos mutuamente e vibrávamos com cada conquista de um e outro, enfim um amor dos bons, e falo isso não só por saudade, mesmo que ela venha ás vezes, mas para me lembrar como um amor deve ser: cúmplice, feliz, saudável e lúdico.
Fazia parte do nosso amor bom, ouvirmos de verdade, e isso pode soar meio artificial ou com ares de idealidade, mas posso exemplificar: se ao conversarmos com alguém ouvirmos, o quanto gostava de um tal doce de leite vindo do Uruguai, que comia na infância, esse detalhe ficará armazenado e será lembrado se um dia formos ao Uruguai ou se nos depararmos com um doce de leite, entendem? Vamos querer e poder dar de presente esse pedacinho de infância, que nos foi confidenciado. Simples assim!
Era assim que em tardes de astral baixo (que eram reconhecidas em simples telefonemas, também faz parte do bom amor reconhecer quando um carinho extra se faz necessário) eu recebia visitas surpresas dele com “tijolinhos”, balas de bananas, ofertas de massagem nos pés, chás e bolos, flores colhidas ao acaso, lembranças, etc...
Foi assim que no jardim do meu prédio, bem debaixo da minha janela, ele plantou um jasmim, por que num determinado dia contei o quanto caminhava e modificava caminhos para sentir aquele cheiro, quando era adolescente, lá em outra cidade. Ele lembrou e quis me dar aquele perfume de presente todo dia e um pouquinho de adolescência, o que é sempre bom.
O amor não pode continuar, nunca mais nos vimos, por garantia e pra me preservar de ataques súbitos de saudades na madrugada, deletei da agenda todos os telefones de contato, guardei numa pasta bem longe dos olhos alguns tantos e-mails e palavras que trocamos, enfim tentei fechar um pouquinho o coração, porém permanecia lá o jasmim, me olhando e recebendo água sempre que possível, nunca mais deu flor é bem verdade, mas ainda assim era o jasmim e todos seus significados.
E esse é o assunto, que queria contar...
Só ontem, percebi o quanto aquele jasmim, que ainda poderia florescer, era simbolicamente o nosso amor especial e minha esperança.
E percebi isso ontem, por que ao chegar em casa, vi que o jardineiro novo, “organizando” o jardim, arrancou o meu presente, toda e qualquer possibilidade de perfume e novas flores, assim de um dia pro outro, não tenho mais...
Talvez essa história tão minha, não lhes diga nada, mas preciso contá-la para lembrá-los como um amor bom é fácil e simples de cultivar.
Se um único amor, brotar a partir desse exemplo, vou sentir cheiro de jasmim no ar. Assim de uma outra forma, além das boas lembranças, permaneceremos eternos.

Que a eternidade do amor é assim...

sábado, 5 de junho de 2010

ando sem rima...

É assim, de tempos em tempos, um silêncio bem paralisante me abate e eu quase esqueço que um dia as palavras me saiam fácil e as rimas faziam sentido.
...tenho vivido assim silenciosa e atenta, ouvindo, lendo os outros e comentando o que me bate, na falta de outros sentidos, lanço aqui um pedacinho do que eu sinto e encontrei nos comentários do Clube do Bem:
...ao ingerirmos são girinos, mas viram sapo lá dentro, não saem e consomem vida coachando nossa incapacidade de colocá-los pra fora...

É bem provavel que eu esteja com alguma lagoa por dentro(lotada), me impedindo palavra...