sexta-feira, 14 de maio de 2010

gente com fogo...

A vida tem me dado poesia, como sempre...Só não tem me sobrado tempo de compartilhá-la...Por que o tempo anda pequeno mesmo acordando as 6 hs da manhã, aliás assistir o nascer do sol é uma forma muito suave e revigorante de alegria.
Mesmo que rapidamente e sem todo o cuidado e os detalhes que a noite merecia para ser contada, preciso contar o tanto de poesia que vivi ontem, lá vai...
Tenho uma amiga, grande Simone que sorri enorme,faz florais,é mãe, canta, escreve, corre, faz natação, trabalha feito louca e ainda por cima arranja tempo pra estudar: Francês e participar de uma oficina de escrita com o Alcyr Cheuíche...ah, esqueci de um coisa muito importante, minha amiga é casada com meu também amigo Ronaldo e eles adoram RECEBER , assim mesmo em maiúscula...Acendem velas e lareiras, abrem vinhos e champagnes, cozinham e naquela cobertura linda e aconchegante, nos fazem sentir em casa.
Ontem houve uma aula especial da oficina, lá na cobertura-casa, eu fui convidada a participar e amei. Lá estavam os colegas especiais e a Simone,todos com seus textos ótimos, a energia contagiante do Cheuíche e o doce Paulinho, mestre em musica que tira sons fantásticos de um serrote, lá estavam as emoções, as lembranças, os sonhos, lá estávamos todos em casa, sorridentes e acolhidos, pelas palavras ditas e sentidas, pelo dedilhar do violão, com a certeza de que poesia bonita é essa que se vive diariamente...Linda noite, que eu jamais conseguiria descrever em palavras, noite de sarau, noite de gente viva e plena. Gente com fogo por dentro, gente que nunca será tapera.
.....
Escrevi este post ontem e fiquei com essa sensação por dentro, gosto de quem usa combustão pra funcionar, que precisa fogo, que funciona á base dessa energia, falando assim parece mecânico, mas não...Gosto de gente que é acesa por dentro, gente fogão a lenha, gente lareira, gente sol, gente que ao abraçar aquece, que ao falar nos acende também, gente que olha e tem luz no fundo, que rindo parece que acende um farol, tem muita gente assim, chego mesmo a acreditar que um dia fomos todos assim, gerados e abençoados com uma faísca piloto e no correr da vida fazemos o fogo grande, bonito, aconchegante, doce ou não...
E o não, é: ou apagar de vez a chama original sem chance de reacender e virar essa gente de olhar baço, ombro pra baixo, pés arrastando e ânimo idem, ou virar essa gente do mal que cospe fogo, queima com olhar epalavra, que é exímio em destruir, gente chata e áspera, que torra o saco literalmente de qualquer um...
Como gosto de escolher quem vive do meu lado, escolho quem me faz bem...Escolho conviver com gente boa.E gente boa no meu conceito, e a noite do sarau me reforçou isso, é quem ajuda a me elevar, sabe fogo de balão? Gente que me ajuda no vôo, que me acalenta no frio, que me garante que nada vai me apagar simplesmente, gente que sei que vai ficar do lado quando a chama piloto ficar fraquinha, e vai me ajudar a reavivar o fogo.

“Gente é pra brilhar” cantava o Caetano, gente é pra queimar digo eu, no melhor dos fogos, no fogo dos sentidos, cheiros e gostos, no fogo de desejos bem curtidos, tem a ver com tesão esse fogo, mas só com sexo não sobrevive, tem a ver com intimidade esse fogo, mas o dia-a-dia faz ventos perigosos, tem a ver com sonho esse fogo, mas muito mais com detalhes reais, com planos concretos, com sopros e intenções claras, com leituras, com sons, com lembranças, com tempo para curtir o calor disso tudo.
Gente boa também perde esperança, perde fé, perde amor, tem gente que perde filho e dor maior nem imagino, mas acredito que nunca se deixam perder de todo, nunca se abandonam e como estão também cercados por gente boa,(o bem é como freqüência de rádio), está garantido que o fogo vai alastrar novamente e sempre.
Gente boa não apaga nunca...Gente boa, não vira tapera*.

*Pessoa tapera, foi uma das figuras usadas pelo escritor Darcy Azambuja,lembrada numa das leituras da noite lotada de gente boa.

2 comentários:

Ana Maria Viana disse...

Nádia,

oi, eu sou uma daquelas gentes com fogo a quem te referiste, daquelas de quem viste o brilho, daquelas, que, como tu, compartilhou da magia de nosso sarau de quarta, na casa da Simone e do Ronaldo. Lendo tuas palavras, que tão bem traduziram as horas que passamos juntos, o clima acolhedor, dos anfitriões, dos corações amigos, achei graça! Foi o mesmo que descrevi ao meu namorado, a amigas, a amigas de amigas, que cada uma pede para eu descrever a outro e a outra e a outro, numa corrente gostosa! Acho que só ouvir já é bom e contar de novo é melhor ainda!
A Simone e o Ronaldo são mesmo um show de anfitriões. E você agora já é do grupo! Estará lá na quarta que vem?
Eu sou daquelas que não esquece nome das pessoas, nem dos momentos especiais, mas esquece nome das lojas de botas: ainda não lembrei o nome da loja de botas que me pediste. Qualquer dia lembro e te passo. Porque de gente não esqueço!
Abraço, Ana.

Clube do Bem disse...

Que fogo bem bom esse! Adoro essas reuniozinhas movidas a "palavras" e "fogo".
Olha só, o Clube do Bem esta fazendo um ano e estou convidando alguns sócios especias para escreverem algumas linhas sobre o tema Amor de Verdade ou Verdadeiro - como quiser. Se anima a me mandar algumas palavras? Adoraria!! Bjão! Paulo