domingo, 30 de maio de 2010

debatendo...

são só linguas
línguas
diferentes
destoantes
teses
dissonantes
são só corpos
e seus argumentos
armamentos

são gêneros
planetas
dispares

e bem no fundo
só são línguas
que não se encontraram
uma lenta entrega

e sofrem
pela impossibildade
de...
romperem
esse
silêncio
de
corpo
e
alma

sexta-feira, 28 de maio de 2010

Bom, ruim, assim, assim...por Pedro Bial



A vida é curta demais pra ser só assim, assim...
Que seja BOA, como a gente sonha e merece!
Mas se for RUIM, que a gente não abandone a vontade de mudar isso, nunca!

E como bem lembra a Lu Slomka: "se é ruim, que a gente viva todo o ruim para aprender a notar quando o bom começar a chegar. Porque ele, chega...ah, sempre chega! :)"

quarta-feira, 26 de maio de 2010

enluarada

tenho necessidade de luz
pés ávidos de mar
tenho um peito
que requer luas grandes
pra comportar poesia...

a poesia da lua no mar by Alexandre Godinho

sexta-feira, 21 de maio de 2010

Da natureza das pessoas... por Everton Behenck

Uns foram feitos
Para a felicidade

Outros ardem

Uns foram criados
Para não ver nada

Outros para intuir a verdade
Mesmo em sua incapacidade

Uns foram feitos para a cama
Outros mesa e banho

Uns não sabem seu tamanho
Outros criam sua estatura

Uns foram feitos
Para a loucura

Outros para a lacuna

Uns feitos
Para o que podem suas juntas

Outros para a busca
Nua

Uns foram feitos
Para serem precisos

Outros
Para lutar com o invisível

Gosto tando das poesias dele, espiem e gostem também Apesar do céu...

sexta-feira, 14 de maio de 2010

gente com fogo...

A vida tem me dado poesia, como sempre...Só não tem me sobrado tempo de compartilhá-la...Por que o tempo anda pequeno mesmo acordando as 6 hs da manhã, aliás assistir o nascer do sol é uma forma muito suave e revigorante de alegria.
Mesmo que rapidamente e sem todo o cuidado e os detalhes que a noite merecia para ser contada, preciso contar o tanto de poesia que vivi ontem, lá vai...
Tenho uma amiga, grande Simone que sorri enorme,faz florais,é mãe, canta, escreve, corre, faz natação, trabalha feito louca e ainda por cima arranja tempo pra estudar: Francês e participar de uma oficina de escrita com o Alcyr Cheuíche...ah, esqueci de um coisa muito importante, minha amiga é casada com meu também amigo Ronaldo e eles adoram RECEBER , assim mesmo em maiúscula...Acendem velas e lareiras, abrem vinhos e champagnes, cozinham e naquela cobertura linda e aconchegante, nos fazem sentir em casa.
Ontem houve uma aula especial da oficina, lá na cobertura-casa, eu fui convidada a participar e amei. Lá estavam os colegas especiais e a Simone,todos com seus textos ótimos, a energia contagiante do Cheuíche e o doce Paulinho, mestre em musica que tira sons fantásticos de um serrote, lá estavam as emoções, as lembranças, os sonhos, lá estávamos todos em casa, sorridentes e acolhidos, pelas palavras ditas e sentidas, pelo dedilhar do violão, com a certeza de que poesia bonita é essa que se vive diariamente...Linda noite, que eu jamais conseguiria descrever em palavras, noite de sarau, noite de gente viva e plena. Gente com fogo por dentro, gente que nunca será tapera.
.....
Escrevi este post ontem e fiquei com essa sensação por dentro, gosto de quem usa combustão pra funcionar, que precisa fogo, que funciona á base dessa energia, falando assim parece mecânico, mas não...Gosto de gente que é acesa por dentro, gente fogão a lenha, gente lareira, gente sol, gente que ao abraçar aquece, que ao falar nos acende também, gente que olha e tem luz no fundo, que rindo parece que acende um farol, tem muita gente assim, chego mesmo a acreditar que um dia fomos todos assim, gerados e abençoados com uma faísca piloto e no correr da vida fazemos o fogo grande, bonito, aconchegante, doce ou não...
E o não, é: ou apagar de vez a chama original sem chance de reacender e virar essa gente de olhar baço, ombro pra baixo, pés arrastando e ânimo idem, ou virar essa gente do mal que cospe fogo, queima com olhar epalavra, que é exímio em destruir, gente chata e áspera, que torra o saco literalmente de qualquer um...
Como gosto de escolher quem vive do meu lado, escolho quem me faz bem...Escolho conviver com gente boa.E gente boa no meu conceito, e a noite do sarau me reforçou isso, é quem ajuda a me elevar, sabe fogo de balão? Gente que me ajuda no vôo, que me acalenta no frio, que me garante que nada vai me apagar simplesmente, gente que sei que vai ficar do lado quando a chama piloto ficar fraquinha, e vai me ajudar a reavivar o fogo.

“Gente é pra brilhar” cantava o Caetano, gente é pra queimar digo eu, no melhor dos fogos, no fogo dos sentidos, cheiros e gostos, no fogo de desejos bem curtidos, tem a ver com tesão esse fogo, mas só com sexo não sobrevive, tem a ver com intimidade esse fogo, mas o dia-a-dia faz ventos perigosos, tem a ver com sonho esse fogo, mas muito mais com detalhes reais, com planos concretos, com sopros e intenções claras, com leituras, com sons, com lembranças, com tempo para curtir o calor disso tudo.
Gente boa também perde esperança, perde fé, perde amor, tem gente que perde filho e dor maior nem imagino, mas acredito que nunca se deixam perder de todo, nunca se abandonam e como estão também cercados por gente boa,(o bem é como freqüência de rádio), está garantido que o fogo vai alastrar novamente e sempre.
Gente boa não apaga nunca...Gente boa, não vira tapera*.

*Pessoa tapera, foi uma das figuras usadas pelo escritor Darcy Azambuja,lembrada numa das leituras da noite lotada de gente boa.

domingo, 9 de maio de 2010

um presente do meu presente!

Acordei com uma mesa de café toda arrumada, uma caixa linda com vários presentinhos, todos a minha cara e além de tudo isso, o notebook ligado e esse vídeo...



Ai,ai a minha música favorita e fotos nossas de todos os tempos...imaginem o tanto que me emocionei e chorei?
É uma delicia ser MÃE!!!
Ser mãe da Alice então...o máximo!
Desejo á todas as mães nesse dia e sempre, carinhos assim tão especiais!

quarta-feira, 5 de maio de 2010

Por uma vida menos ordinária...

Quando recebi esse vídeo lindo da Isabel Allende quis colocá-lo aqui, por que o que ela me disse mexeu com estruturas minhas que precisavam alguma revisão, talvez você também esteja assim, precisando de algum movimento, de uma nova visão, da consciência de que a vida além dos nossos umbigos: anda dura, anda injusta e já faz tempo.

As mudanças nos pertencem, o nosso silêncio e a nossa omissão podem reforçar e multiplicar injustiças, e isso, será sempre imperdoável.

Talvez você como eu se envergonhe de ser um personagem tão banal na sua própria história.

Talvez você sinta falta de alguma razão pra brigar, de alguma ideologia pra viver como cantava Cazuza, de alguma esperança em mudanças, talvez você sinta o ímpeto de ser precursor, de levantar alguma bandeira, de começar um abaixo-assinado, de botar a boca no mundo, de não deixar por isso mesmo, de fazer alguma diferença sendo melhor, sendo gentil, sendo mais humano.

Por onde andamos? Questiona a linda Elisa, a amiga que enviou esse vídeo.

Por onde andamos? Eu também me pergunto. Em que curva desistimos de buscar? Em que buraco caímos e esquecemos o lado que andávamos e o que nos movia? Quando e com que permissão ficamos tão ínfimas feito a Alice, num país sem maravilhas?

As estruturas todas são feitas de gente como você e eu, de gente que um dia acreditou e talvez por infelicidade, um dia vacilou. Gente que por mau exemplo, ou falta de força um dia foi na onda, por que resistir dá sempre muito trabalho. Por que erguer a cabeça enquanto todo o resto curva os ombros não é agradável. Por que reagir chama muita atenção, por que pode haver represálias, por que o mundo é hostil, milhões de por quês podem alimentar nossa acomodação, mas tenho certeza não sossegam a alma, não fazem noites tranqüilas, “saber e não fazer, ainda é não saber” já dizia a filosofia oriental, se sabemos e continuamos a não fazer nada para mudar, somos personagens medíocres.

Viemos ao mundo para vivermos apaixonadamente, pra sermos melhores, para nos superarmos, não devemos esquecer isso, nosso maior compromisso é com a evolução.

Como os dependentes químicos, temos que pensar na ação do dia, no compromisso de hoje, no nosso pequeno âmbito, no que se pode fazer por aqui mesmo. Pensar nas grandes causas e nos grandes movimentos pode ser desmotivador. Devemos começar com passinhos de formiga iguais aos da brincadeira: Mamãe posso ir? Um passinho de formiga por dia, um ato digno por manhã, um comprometimento á tarde, uma palavra sem preconceito á noite, uma maldade não pronunciada, uma fofoca não perpetuada, uma ajuda possível, um olhar com empatia, um movimentar mínimo de energia e já faremos diferença. Um querer melhor e já seremos a diferença.

Viver é simples, feito de escolhas diárias: boas ou más, mas sempre nossas!

Escolham pelo melhor papel, escolham ser lembrados com alegria, escolham a justiça, escolham a verdade, escolham a paixão.

Dica do dia: momento da ação sensível
Existem momentos específicos em nossas vidas que demandam a utilização de empatia, Nadia. A empatia nada mais é do que a capacidade, muitas vezes que nasce da simples boa vontade, de se colocar no lugar do outro e compreender as coisas a partir do ponto de vista alheio. Vivemos, em geral, voltados demais para nossas próprias perspectivas e carecemos de uma avaliação mais fiel, justa e sensível da realidade das pessoas que estão ao nosso redor. Cultive uma postura mais compreensiva e a recompensa virá na forma de amor, simpatia e colaboração. Você sofrerá testes claros em sua paciência, mas não deverá fracassar.