domingo, 25 de abril de 2010

das formas da saudade

Meu pai usava palitos de dentes, um hábito da fronteira, uma birra com minha mãe, um gosto, vai saber...ficava com aqueles palitos rolando de um canto a outro da boca, mascava-os, de forma que as vezes tão íntimo e esquecido do acessório, dava umas cochiladas com palito e tudo.
Nunca gostei dos tais palitos, tinha receio que um dia engolisse, além de achar estranho achava um pouco anti-higiênico, mas eram dele.
Ah, como são estranhas as lembranças e embrulhadas ás vezes, modifiquei meu desgostar...
Digo isso, por que agora que meu pai se foi, deu pra aparecer palitos aqui pela minha casa, em algum cantinho está lá, plena a saudade de meu pai, eu pego eles com cuidado, como se pudesse abraçá-lo, pisco pro céu agradecida, entendo e guardo com carinho os recados do meu pai.

2 comentários:

Clube do Bem disse...

A saudade e suas formas. Singelo!
Bjão!

M.D. Renata Burttet disse...

Ah Nadia...tu escreve muuuiiitto bem! Juro que pude imaginar tudo, cada palavra! Um bjao e bom findy!