quinta-feira, 18 de março de 2010

dos orgulhos

Lendo a Ervilha me encontro nesse parágrafo num texto muito pessoal:
..."Arranquei o orgulho com mãos pouco errantes. Eu que de tudo sempre me sobra um orgulho besta. Foi tão bom cravar neste empecilho e não deixar com que ele se intrometesse."...

Lembrei tão claramente meu pai que não está mais aqui para me olhar, sacudir a cabeça e me compreender dizendo:" Com tanta coisa pra herdar de mim, tu tinha que herdar logo meu orgulho!?
Fico feliz que a minha amiga Ervilha, crave as unhas no orgulho, Deus queira que consiga arrancá-lo e jogá-lo pra bem longe. Orgulho é coisa besta e auto-presevativa...Só assim ela pode deixar a iniciativa comer na sua mão e de tão próxima, virar amiga...

2 comentários:

Miss Cris disse...

Nádia, as tuas doses de sabedoria sempre calam fundo aqui... Aodro! um beijo

Clube do Bem disse...

Xô orgulho, vamos nos unir contra ele!
Bjs!