domingo, 10 de janeiro de 2010

perdidas no azul e na incompreensão...

Ela me disse com os olhos muito abertos que ás vezes nem cabia no azul que enxergava,sobrava... depois já com olhos marejados me falou do medo e da fome que sempre lhe acompanhavam, ela não sabia o quanto de poesia eu enxergava nela e eu nunca entenderia o quanto de dor seus anos dormindo na rua lhe davam, éramos duas crianças com dificuldade de crescer, duas personagens flutuando na ficção do dia-a-dia...


PS- viajando na linda foto da Mariah

Um comentário:

JAIRCLOPES disse...

Gostei muito. Aproveito para convidar a uma visita ao blog: www.seteramos.blogspot.com Lá tem uma homenagem a Gabriela Mistral que deve ser lida.