quarta-feira, 4 de novembro de 2009

das filhas...

Pegamos um táxi, eu e minha filha, logo o taxista já se rende a eloquência e a simpatia dela, o que me faz reafirmar: 'auto-estima é tudo na vida de uma pessoa'...Suspiro a auto-estima que não desenvolvi no tempo certo, enquanto o taxista suspira a sua filha adolescente e tímida.

Comento que aulas de teatro podem fazer um bem danado, mas logo percebo que a timidez da filha era um sofrimento dele, não dela. A filha ao que tudo indica era reservada e econômica nas demonstrações mas não sofria com isso, tinha gostos "estranhos" ,tinha " jeito" igualmente estranho aos olhos do pai, mas fora isso, era uma menina normal e feliz.

Comento uma passagem do livro Pequeno príncipe onde ele conta que ao exigir que uma borboleta se transforme em general, o que obviamente ela não conseguirá, a culpa é de quem exige, é preciso exigir de cada um o que cada um pode dar...

O fato é que é preciso (e muito difícil) aceitar as pessoas e suas peculiaridades...É culpa nossa as expectativas e os roteiros que criamos a elas, todas as histórias, diálogos e finais "felizes" que provavelmente nunca existirão, tudo que sonhamos e delegamos aos outros é injusto...


_ Talvez o problema não esteja nela, e sim na tua expectativa...E se for assim, este problema é teu!!
Arrisquei.

Ele envergonhado disse: _É,na verdade eu queria ter uma filha mais normal...
E engoliu a ultima palavra ainda mais consciente do quão preconceituoso e ressentido era o olhar que dirigia a filha.

Pobre borboleta!

2 comentários:

Luli Rosa disse...

Tive que mandar aos meus pais esse teu post...foi necessário...rsrsrss...bjbjjb!!!

Adriana disse...

Ameiiiiiiiiiiiiiii !!!!!!!!!
Não é a toa que sempre amei borboletas..
Bjssssssssssssssssssssssss