terça-feira, 28 de julho de 2009

Fabrício e a filha...

"Faz de conta que já conhece os sentimentos que virão para não sofrer com eles. Demora de propósito. É aquela pessoa que chega muito antes de um compromisso e dá uma longa volta para depois aparecer atrasada. Há sempre uma sala em seu rosto onde deixa a emoção esperando. Não que seja insensível, é sensível demais, tanto que tenta controlar o que não pode."
Carpinejar fala de sua filha no blog www.fabriciocarpinejar.blogger.com.br, e eu que mal conheço a Mariana, me enxergo adolescente nessa definição.

Fui dessas
que se enfrentam
pra vencer o medo
dessas que antecipam
as quedas
trazendo os braços engessados
fui e talvez ainda seja
de uma sensibilidade
que me soa excessiva
e que por isso trago travestida
de outros sons, outros tons,
com o intuito de não mais soar...

percebo por que meu faz de conta
nunca convenceu por muito tempo...
me faltou essa ante-sala
pra emoção esperar

minhas emoções
sempre foram exibidas
despudoradas
me ruborizaram
botaram brilhos nos olhos
sempre sentaram com pernas abertas
minhas emoções
sempre gargalharam alto
e choraram a luz do dia

me faltou a ante-sala
da dor, da vergonha, do medo
faltou a cortina e a meia-luz...

mesmo que as palavras
insistam em desdizer...
está tudo sempre exposto
minhas emoções
são analfabetas
beberam em outras fontes
se recusaram
as cercanias do meu bê-a-bá...

de certa forma isso me salvou de mim...

3 comentários:

Luciane disse...

Nádia, Nádia...que lindo...e o Fabro sempre nos servindo de mola propulsora para nossos pequenos vôos literários, né? Beijão!

marcelo disse...

Realmente bonito e forte Nádia! Parece que te conhece muito bem! É isso que torna tuas frases vivas e com sangue. Beijo!

Lucho disse...

Lindo escrito.
Denso como o próprio caminho da vida.

Beijo.