domingo, 10 de agosto de 2008

meu pai faz 70 anos!!


Meu pai está fazendo 70 anos...e minha mãe que escreve bem, reuniu algumas histórias dele, que demonstram o homem que ele é, o homem por quem ela se apaixonou, casou e com quem nos fez, uma delas:


O convite para Formatura



Recebemos um convite para uma formatura de Medicina... Li o nome da moça e não conheci. Perguntei para o Duba e ficamos os dois a se perguntar quem seria. Não reconhecíamos nem seus pais ...Tentávamos lembrar se era algum conhecido de Itaqui, quem sabe filha de algum colega e nada... Depois de um tempo o Duba lembrou: – Acho que já sei de quem é! – e passou a contar: – Quando eu trabalhava no caixa, além de fazer pagamentos, as pessoas vinham ver se havia sido debitados em suas contas dinheiros, cheques... Os depósitos eram mandados do interior via fax e registrado nas contas dos clientes ou entregues ao destinatário na boca do caixa. Essa moça vinha seguido ao banco pois seus pais mandavam dinheiro para ela pagar cursinho e estadia. Um dia ela veio por três vezes no banco, de manhã cedo, no meio–dia e aí pelas três horas... E nada! Nem sombra do tal fax. Eu lhe perguntei o que estava havendo e ela me explicou que era o último dia para fazer a inscrição para o vestibular, e os pais não haviam mandado o dinheiro.-Vou perder o vestibular...- ela disse desolada. Aí eu falei pra ela: –Vamos fazer o seguinte, eu te empresto e depois quando chegar tu me devolve! Ela aceitou, faceira, no outro dia veio o tal passe e ela me pagou... Acho até que ela me falou depois que havia passado no vestibular... –Deve ter terminado o curso e mandou o convite!...-concluiu

Nota: Mandei para a formanda umas flores e um cartão em nosso nome.
Não conheci a moça, mas conheço o meu marido para saber que para ele esse foi apenas um gesto humano, que não precisava de reconhecimento nem lembrança

Me pede pra escrever algo, e mesmo achando que as palavras não conseguirão dizer tudo tento: Meu pai me ensinou a ser ética e humana, a ser irônica e rir e fazer piada até dos meus próprios tropeços, a ser forte, mesmo que para isso precisasse encobrir medo e fragilidade, me deu amor, carinho e certeza de que eu conseguiria andar e voar, e que sempre teria um ninho pra voltar. Ouvi uma frase muito significativa dele há muito tempo atrás: “Com tanta coisa boa pra herdar, tu foi herdar logo meu orgulho!” É essa sabedoria de me auto-reconhecer que eu espero atingir um dia, e claro ter a capacidade amorosa, presente e especial de deixar a minha filha voar e poder sempre contar comigo, como ele me ensinou. Amor é isso!

Um comentário:

Alice Klein disse...

Lindo o texto!!!!
Beijos