sexta-feira, 18 de julho de 2008

Caminho atrás de duas senhoras que pelos trajes, cabelos brancos e o leve encurvar das costas já passavam dos 70 anos, presto atenção no que dizem:
_ Estou precisando de um remédio que me ajude na memória, ando tão desmemoriada, preciso de uma ativada.
_ E eu estou precisando de um remédio que me dê um ilusionada...
E suspirando sábia concluiu:
-Antes perder a memória que a ilusão...

Em tempos dificeis como os nossos, que testam nossa confiança na raça humana, na justiça, na ética e nos fazem pensar descrentes em quem sairá vencedor na eterna luta entre o bem contra o mal, entendo perfeitamente essa necessidade de remédios que tragam de volta a ilusão.

Aí,lembro da lua de ontem, da foto do Achutti e de um poeminha antigo que fiz sobe efeito:

Foto Achutti

enquanto houver
lua cheia
me deixo
encher de ilusões...



Ela cheíssima e poderosa, sempre mexe nas águas, sobe as marés e por dentro nos amolece a alma, nos coloca mais sensíveis e mais inundados de sensações, abençoada, flutuando e nos hipnotizando, nos acendendo vontades, plena...um remédio!

Tomara que aquela senhora,tire o olhos de dentro e hoje, olhe pro céu...

Viver ápices e escuros,nosso exercício, nossa natureza e aprendizado: é preciso minguar para crescer.

Um comentário:

Histórias do Joaquim disse...

oi fofura! passa lá no meu blog que te convido para fazer uma brincadeira de meme! bjos, nono