segunda-feira, 5 de maio de 2008

viver profissionalmente!

Foi depois de assistir Amadores (especial da rede globo), que me veio à certeza...Aliás, da boca do personagem interpretado por Murilo Benício: “Se levar em conta à vida média do brasileiro, temos mais 40 anos, temos agora a chance de não mais agir como amadores, entramos no que costumam chamar segundo tempo”, eu entrando no próprio concordei, já não tenho mais desculpas, nem tempo pra me negar, pra me fazer de desentendida, pra não prestar atenção, pra empurrar com a barriga, pra fazer de conta que não é comigo, está mais do que na hora de assumir o compromisso de viver direito!
Sei que desde os sumérius o tempo é calculado em períodos de 60 segundos, horas, meses e anos... (foram eles, né?) Mas o tempo, fora o cronômetro é estranho... A vida tem pesos e medidas pessoais, há quem talvez conte ganhos, o que adquiriu, o patrimônio, mais ou menos assim: o ano que construí a casa, o ano que comprei a casa da praia, o ano que comprei a Toyota dos meus sonhos, o ano que me tornei sócio-gerente, etc...Deve haver os que contem amores: os anos que namorei o fulano, o ano que não tive ninguém, mais os anos que vivi com o sicrano, etc... Deve haver os que contem viagens: o ano que fui a Paris, o ano que conheci a Austrália, o ano que não consegui tirar férias, etc...
Agora percebo, não importa não existe certo e errado nisso de viver, não importa qual seja o parâmetro: quer ganhar dinheiro, ganhe, mas tenha objetivos prazerosos e desfrute do que suar para ganhar.
Quer viver para amar, se permita, se não foi com o fulano, nem com sicrano, vai tentando, quem quer viver de amor, será infeliz se fechar o coração pra balanço.
No cálculo futuro, pela magia do tempo, aquela viagem de final de semana pode contar por um mês, aquele amorzinho vagabundo que te consumiu um ano, pode ter a mesma importância de um dia, aquele sonho concretizado pode valer mais de ano.
Felizmente a vida me deu uma filha linda e umas vivências que me deram essa consciência, foi quando abandonei a corrida maluca e comecei a curtir detalhes e instantinhos... Assim que reconheço o quanto à vida é rara! Ok, ela também não para!
E o Lenine canta muito bem isso:
“... mesmo quando tudo pede um pouco mais de calma, até quando o corpo pede um pouco mais de alma, eu sei. A vida não para”.
Como criança cheia de energia, curiosa, hiper ativa, não se cansa, às vezes brinca de se esconder, pregar peças, pula na nossa frente, grita, sacode os braços, a vida é bem interessante, às vezes nos mostras cores diferentes nas árvores, flores pelo chão, sol e lua inusitados, ás vezes nos põe cara a cara com o passado, ás vezes nos faz usar fantasias, ás vezes nos faz chorar, ás vezes nos faz cócegas, e ás vezes nos convida pra voar...
Inquieta nos sacode toda as manhãs, nos cutuca quando cochilamos, nos enche de perguntas ás vezes bobas, ás vezes embaraçosas, não se contenta com nossas justificativas furadas, nos cobra coerência, nos cobra ação, nos enche de culpa quando desistimos, nos dá insônia quando não estamos fazendo do jeito que ela quer.
A vida nos quer em movimento, nos quer sempre inteiros, apaixonados, quer dispor do nosso melhor olhar, nossos beijos, nossos suspiros, nossos sorrisos...A vida não se contenta com pouco, e quando nos percebe desistentes, inventa cores, inventa amores, provoca encontros, pega nossa coração e leva pra passear...

A vida é rara, de uma beleza impressionante... E sem dúvida nenhuma, uma dádiva...
A vida nos quer ALEGRES e PLENOS! Ela nos dá um tempo, mas depois, não quer mais nosso amadorismo, nossas dúvidas, quer todo nosso empenho, quer toda nossa dedicação, nossa super experiência, depois dos 40 ela quer que sejamos profissionais nisso, sejamos!

Nenhum comentário: