quinta-feira, 15 de maio de 2008

geração fast-food

Eu estou há tempos sentindo que esse nosso mundo está demasiado fast-food, e não só pelo comer rápido e empoleirado, coisa lamentável que até o Mario Quintana já tinha percebido. O mundo está FAST, rápido, sem tempo pra parar, sem tempo pra respirar, tudo numa urgência assombrosa, tudo pra ontem, tudo e todos nessa ânsia de futuro, sem tempo de estar aqui...
E se não bastasse esse correr ansioso sem saber aonde chegar...Ainda mais FOOD...
Um amigo recém saído de uma relação me descreveu com precisão o que até então me incomodava, mas ainda não tinha nome: “estou me sentindo num Buffet... num buffet de café colonial, com fome de quem não almoçou pra se empanturrar aqui!” E ele estava falando de gente!
Geração ou espécie fast-food, com ânsias de buffet...Geração bulimia, que vai comer de tudo sem nem sentir o gosto e depois jogar fora...Assim estão quase todos que enxergo, correndo, como o coelhinho da Alice no país das maravilhas ou comendo: gente, sensações, sapos, e tudo mais que vier, já que a ordem parece ser não deixar de provar nada!

Um bando de “crianças”, que queriam uma “happy family” antes de entrar na loja de brinquedos e agora fascinados querem tudo, e pra tudo/todos tem olhos gulosos, ansiosos e urgentes!
Tempo difíceis pra quem queria ser happy...

Nenhum comentário: