segunda-feira, 12 de maio de 2008

Rituais & Celebrações

Dia desses ouvi uma psicóloga dizer que as crianças de hoje, já não tem tempo de desejar. Aí percebi isso se estende aos adultos também, em geral as pessoas estão entediadas e tristes, como crianças ricas que já tem todos os brinquedos e descobriram que papai noel nunca existiu...

E ainda assim correm, sem saber aonde ir, não param, não respiram direito, mal olham, mal se tocam, mal se comunicam, não se entregam, se medicam, se adulteram, não se pensam, passam batido, ansiando pelo que já nem adivinham...perderam o detalhe.

Triste estado de coisificação do todo, de desritualização da vida.

Sou favorável as cerimônias, não as burocráticas com discursos e políticos engomados em textos que saem da boca pra fora...Essas eu odeio!

Sou favorável aos rituais de passagem e as cerimônias, lembrei agora de uma frase querida do pequeno príncipe, onde a raposa diz: "Se tu vens, por exemplo, ás 4 da tarde, desde ás 3 serei feliz!".

Falo é disso, desse poder de felicidade interior e anterior, falo desse ritual de espera com seus perfumes, velas, jantares, banhos, com seus sorrisos antecipados, falo das possibilidades reverenciadas, falo do prazer de desejar e da capacidade de nos permitirmos esse tempo e da sabedoria de valorizá-lo.

Falo de rituais que podem ser bobos, aos olhos que desaprenderam a ver, falo de se dar devido valor: ao silêncio, as músicas, as conversas em torno das mesas, aos brindes, as leituras, falo de prazeres genuínos como pra mim tem o café com leite e pão com manteiga bem saboreado, falo da alegria dos encontros, de abraço demorado em quem se ama, falo de cheiro de comida feita em casa, banho de banheira, falo da gratidão por se ter uma família e uma casa, por se ter amigos pra contar, falo de rir para o sol num verão fora de hora como hoje, de compartilhar a lua, de andar de pés descalços, de comer doce de infância, falo de celebração em todas as formas, deveria ser uma alegria nova estarmos vivos, mais um dia!...E isso pode soar tão estúpido e falso como os discursos dos políticos lá de cima, mas estúpida mesmo, é nossa inconsciência ao não absorvermos da vida tudo o que ela está nos dando, a toda a hora.

Quando perdemos a capacidade de nos deliciarmos. Perdemos luz e viramos crianças tristes, que já não se surpreendem nem desejam nada. Perdemos o espírito do natal, que é muito mais que os presentes e papai noel.

Acredite em mim, o segredo é celebrar tudo o quanto se ganha, a felicidade, está no detalhe!

Nenhum comentário: